domingo, 7 de janeiro de 2007

Alguém me perguntou por que escrevo




Remexe-se aquele feixe de nervos saltado
uma dor pequenina e gostosa
empurrar
com a língua o dente de leite solto
sentir
o gosto metálico da gengiva em flor viva
desenterrar

outra coisa que desponta na carne

Um comentário:

Alessandra Espínola disse...

Vai escrever bem assim mundo a fora (rs). Você é muito danada de boa! Me surpreende sempre (muito positivamente, claro!) Chego a levar um susto com esses seus olhos de raios X (e de todas as letras), olhando além das palavras. Estrapola em sensibilidade, profundidade, beleza... é uma vastidão você. Xêro!