terça-feira, 1 de maio de 2007



Medrar por entre verdes
Saias, serpentinas samambaias.
Sombras densas pisando sombras leves.
Um monte de coisas frondosas
E fulgurosas, copas de árvore,
Carpetes de musgo, coisas que se
Agarram e se entreabraçam.
Um denteio de laca num espichar de
Pescoço. Eis tudo o que eu quero.
Um embrulho de folhas, redes de eras,
Dedos de endro adentrando pela boca.
Eis tudo o que eu quero,
Ninho húmido em terra fofa.


NY, maio de 2007

2 comentários:

un dress disse...

um ninho que se descubra

no doce despir



das campainhas de maio...

Alessandra Espínola disse...

eu me aninho em tuas palavras, revolvo-me como bichos da terra quando o sol se adentra bem no fundo húmido e fofo...ah tua poesia!