sábado, 14 de abril de 2007

Estar só



Estar só já não me espanta—
A solidão hoje me é
Contígua.
(Um vaso e a sua sombra).

Companheira espelhada das horas magras,
Sempre muda, reflexiva.
Ouso dizer? Meio
Amiga.

O que temo, justamente, é:
Me acostumar de vez
Com essa tímida
Rapariga.


NY, abril de 2007

4 comentários:

un dress disse...

rodopia:

a sombra




/




fica doida!

un dress disse...

.a música: Angreas Schöll

maravilhoso contratenor, especializado em música barroca.

vi-o uma vez ficou-me... printed

.também eu acho linda a nossa conversa e colaboração.


beijO lavinia*

un dress disse...

descupa: Andreas Scholl, assim é que é...:)

Alessandra Espínola disse...

Você caminha contígua em nossa natureza morta, lança seu olhar espelhado na nossa solidão. Beijão! É incrível!