quarta-feira, 29 de novembro de 2006

Os homens no metrô

Outro dia comecei a reparar
Nos homens que me olham no metrô.
E cheguei à seguinte conclusão.
Esses homens não sabem
Que sei de cor o minuano
Que carrego um caramelo de mágoa
Debaixo da língua
E que planto flores com os olhos.
Nem desconfiam que
Por baixo do mantô
Eu giro feito um catavento.

Um comentário:

Ivan Santos disse...

Que inveja do vento...