quarta-feira, 18 de julho de 2012

No ato de escrever
Me despedaço.
Pedra, bílis e aço.

Me refaz
Com suas artes
Mais que a soma
Das pífias partes

Quem aqui erra
E pausa
E lê.


5 comentários:

Verso Aberto disse...

e se recusa a catar os cacos

depois de
estilhaçar-se
em palavras

belo poema Lavínia

aba

Pedro Santi disse...

Olá , gosto muito dos seus textos, você pode olhar meu blog também, dizer o que acha e indicá-lo? http://pedrosanti.blogspot.com.br/

Webston Moura disse...

Cara Lavínia,

Gostei dos teus poemas!

Abraços!

F Talal disse...

sempre erro aqui.

Mário Lúcio disse...

Adorei esse poema, muito bom mesmo, simples e de uma epifania singular, parabéns, se possível dê uma divulgada em meu livro

https://www.clubedeautores.com.br/book/143079--Versos_da_Consciencia