quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Carta sobre a leveza (para A.)



Caro amigo.
Andei pensando.
Se você se desfizer de todo o peso que carrega
Levantará vôo e sobrevoará a cidade
Feito um padre suspenso por uma penca de balões de festa
E teu vôo terá sido sem sombra de dúvida
16 minutos duma leveza extasiante
(Seguidos dum fim indecoroso em meio a um emaranhado de cordas
Num leito de borracha colorida boiando a tres leguas do cais do porto.

Te conto, amigo querido, que
Aos meus 27 anos de idade,
No interior de um país árido
No meio duma estória que ainda se desdobra
E que de tão complicada ficará sempre para outra vez,
Cheguei à conclusão que o desafio,
Na verdade, consiste em saber:

Amarrar a cada pé uma pedra
Atar a cada braço uma bigorna
Levantar sobre cada ombro uma viga espessa
Equilibrar no alto da cabeça
Cordilheiras e cordilheiras.
E mesmo assim

Correr sob céus estrelados
Sem duvidar que a sua consciência, enquanto leve,
Te permitirá carregar
Cada fardo que encontrar
E levar no coração, com leveza
Todo -- repito -- todo o peso deste mundo.

Caro A. Suponho que você tenha nascido
Moço de fretes. Leveza is not your business.
Carrega então os teus pesos
Com alegria.

7 comentários:

Fouad Talal disse...

céus!

não acredito nisso.

Descobri seu blog no início desse ano e sempre achei um pesar o fato de não encontrar postagens recentes nele, pois gostei muito do que li por aqui... pensei que estava abandonado, mas apesar de tudo mantive na minha lista.

com alegria e surpresa vejo que suas letras retornaram.
Aprecio imenso...

um abraço!
ft

Ivan Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Della disse...

Adorei!Parabéns!

Abraços

Della Coelho
http://dellacoelho.blogspot.com

William Garibaldi disse...

Lindo!
Golsto muito de conhecer Poetas, especialmente quiando vivos e criativos!
Gostei de tido o que li.
Super sensibilidade... forte... vivo!
Entre em contato comigo, venha visitar meu blog.

danbrandao disse...

parabens, muito bom.

http://danbrandap.blogspot.com

Robson W. disse...

Marcante e desafiador. Longa vida a teus escritos!

Ricardo disse...

talvez no final, um sorriso brando, bem leve... =)